Ministério da Geologia e Minas
Governo

Empresas inoperantes serão fechadas

Durante o encontro que contou com a presença da mais alta entidade do sector mineiro, ministro dos Recursos Minerais e Petróleos, Diamantino Azevedo, foi apresentado aos governantes o ponto de situação das empresas licenciadas para a actividade mineira.

Já Diamantino Azevedo predispôs-se a realizar encontros com os empresários desde que haja interesse da parte dos mesmos e concertação.

Após o encontro, a Delegação Governamental e Ministerial deslocou-se a Malongo em visita à Central térmica de Malembo.

Nesta localidade, o ministro pediu maior divulgação dos aspectos positivos em benefício da população de Cabinda para diminuir a má percepção que se tem sobre produção petrolífera.

Sobre a incubadora de empresas, mostrou-se preocupado com a sua extinção e afirmou apoiar a reactivação por conceder aportunidades a jovens locais que queiram enveredar pelo empreendedorismo. À Sonangol pediu uma informação mais detalhada sobre o assunto. Informado pelos responsáveis da CABGOG sobre a intenção dos congoleses em aproveitarem o seu gás natural por meio da ALMG, no Soyo, Diamantino Azevedo instou a SOnangol a estudar a hipótese que pode ser útil ao país.

Noventa por cento dos colaboradores da Cabinda Golf Oil Company (subsidiária da americana Chevron) são angolanos, maioritariamente de Cabinda, sendo que os cargos de liderança são ocupados em 70% por angolanos.

O governador fez elogios à cooperação institucional prestada por aquela empresa petrolífera, a quem pediu apoio para o Sporting de Cabinda.